Brincadeiras lúdicas para Surdos

Brincadeiras lúdicas para Surdos

Brincadeiras lúdicas para Surdos

Crianças surdas, assim como as demais crianças, brincam e se relacionam normalmente, não apresentando maiores dificuldades em interagir com seus pares.

O que ocorre é que os jogos e brincadeiras infantis já estão inseridos no universo do simbólico, no qual a linguagem é lugar central na internalização de conteúdos.
Quando chega á escola, ainda que não use Libras, a criança surda se comunica por meio daquilo que chamamos de linguagem corporal, que assume um caráter simbólico importantíssimo, uma vez que será a primeira forma linguística de manifestar intenções e agir sobre o outro, voluntariamente.
Os jogos e brincadeiras Lúdicas para os surdos, tem como objetivo a aprendizagem, que envolvem a consciência de regras, de modo a desenvolver a capacidade simbólica, aliada á atividade prática.

As situações que envolvem restrição da ação, mediante a compreensão do critério para fazer parte do jogo, possibilitam que a criança renuncie aos seus impulsos imediatos, subordinando-se a determinadas regras.
Todos os jogos e brincadeiras lúdicas do universo infantil podem ser praticados por crianças surdas: brincadeiras de roda, esconde-esconde, pique, lenço atrás, entre outras, desde que as regras estejam suficientemente claras. Isso apenas poderá ocorrer se houver um território linguístico comum entre criança surda, demais crianças e professora, por meio do aprendizado em Libras.

Sugestões de brincadeiras lúdicas para surdos:

– A criança poderá dramatizar uma história conhecida ou ser estimulada a desenhar ou contar uma história em língua de sinais, com base em brinquedos disponibilizados pela professora.

– Sinalizar e descrever características de brinquedos e objetos em jogos de adivinhação é uma experiência interessante para estimular as expressões faciais e corporais, além da estruturação das primeiras narrativas em Libras.

– Com máscaras, indumentárias e outros objetos estimular jogos de representação, imitação de ações de um personagem de uma história infantil, de modo a estimular o universo imaginário do faz de conta e potencializar as narrativas em Libras.

Brincadeiras lúdicas recreativas para surdos

Brincadeiras lúdicas para Surdos

Além dos brinquedos convencionais, há a possibilidade de criação de novos brinquedos, utilizando materiais diversos como papéis coloridos, retalhos, caixas garrafas pet, embalagens etc.

Propor variações de brincadeiras próprias para ouvintes como forma de brincadeiras lúdicas recreativas, o que também pode ser uma atividade inclusiva interessante.

O telefone sem fio:

na versão para surdos, coloca a palavra sinalizada no lugar da palavra falada.
As crianças ficam em fila, de costas para o primeiro. O primeiro faz um sinal para o segundo, que deve observar atentamente, pois seu objetivo é reproduzi-lo á pessoa seguinte, cada participante repete o processo até o último, que deverá fazer o sinal para o grupo. No final do jogo, o primeiro participante reproduz para o grupo o sinal correto.

Minhoca:
É uma corrida de ida e volta, mas os participantes, ao invés de correrem, se arrastam pelo chão. Ganha quem chegar primeiro, para as crianças surdas o educador deverá descrever as regras através da linguagem de sinais ou com gestos corporais demonstrando como deverá ser desenvolvida a brincadeira.

Túnel:
Jogam duas equipes com número de participantes iguais. Cada equipe formará um túnel, onde os
 participantes ficam um atrás do outro com as pernas abertas. É uma espécie de corrida. No “Já” do mestre, o último de cada fila deve passar por debaixo do túnel e ir para a frente. Depois, o último faz a mesma coisa. Desse jeito, o túnel de pessoas irá se distanciando para frente cada vez mais. Ganha o túnel que cruzar a linha de chegada primeiro, para as crianças surdas o educador deverá descrever as regras através da linguagem de sinais ou com gestos corporais demonstrando como deverá ser desenvolvida a brincadeira, esta brincadeira desenvolve a habilidade das outras crianças em ajudar o amiguinho a realizar a atividade proposta, sempre dando sinal na hora em que o amigo surdo deverá realizar a corrida pelo túnel.

Brincadeiras com bola para crianças surdas

Brincadeiras lúdicas para Surdos

Coração queimado-

Nestas brincadeiras com bola para crianças, é possível elas aprenderem a importância de serem unidas para proteger um amigo e a inclusão da criança surda será de extrema importância. Aqui, podemos trabalhar a força que há em uma equipe unida, além de ser ótimo exercício físico, primeiro é necessário separar duas equipes para começar a brincadeira cada equipe escolherá em secreto quem será o coração que representará sua turma, o educador explica para a criança surda as regras na linguagem de sinais e as demais crianças cooperam com gestos.

Comece a brincadeira com cada equipe atirando a bola contra a outra, na tentativa de queimar o coração, a turma deverá proteger a todo custo a criança escolhida como coração, não deixando que a bola lhe acerte, ganha a equipe que conseguir queimar o coração do adversário primeiro.

Essa brincadeira mostra, que a criança enquanto brinca, adquire valores, aprende a importância do trabalho em equipe, tem a possibilidade de acolher a criança surda  e assimila a responsabilidade em proteger o companheiro.

Bola ao alvo:

Bola ao alvo, é das brincadeiras para criança que ajuda a treinar o equilíbrio, a capacidade de controlar os impulsos enquanto eles se divertem. Aqui, tudo pode funcionar como brinquedo, pneus usados, bacias velhas ou até mesmo um saco plástico. A bola poderá ser improvisada, feita de jornal ou meia.

Coloque as crianças em duas fileiras, na frente coloque dois baldes, bacias ou pneus usados, na mesma direção, dê uma bola nas mãos das primeiras crianças e ao comando as duas devem atirar, para as crianças surdas o educador deverá descrever as regras através da linguagem de sinais ou com gestos corporais demonstrando como deverá ser desenvolvida a brincadeira, quem acertar fica do lado de seu grupo esperando os colegas também tentarem, o educador dá sempre o sinal sonoro e o gestual para a criança surda entender o seu momento e dos amigos que irão jogar a bola. Se a criança errar, deverá ir para o final de sua fila, para tentar novamente, vencerá o grupo de terminar primeiro, onde as crianças foram mais rápidas e acertaram mais depressa ao atirarem ao alvo.

Bola na parede :

Se houver espaço, poderá ser feito com quantas crianças quiser. O que vamos precisar é de 1 bola e de parede, um professor irá dando as ordens de comando, e tudo o que disser as crianças terão que fazer, usando sempre a parede  para repicar a bola. Quando o comandante disser:

“Seu lugar” a criança deverá jogar a bola na parede e pegá-la sem sair do lugar;

“Sem falar” (jogar e pegar a bola sem falar);

”Uma mão” (joga a bola e a segura na volta só com uma das mãos);

“Palmas” (joga a bola e antes de pegar de volta bate palma);

“Pirueta” (joga a bola e antes de pegar de volta enrola os braços);

Quem for errando vai saindo, o último a ficar, será o vencedor. Essa forma de brincar treina muito a atenção, o equilíbrio, a inclusão pois a criança surda irá precisar muito além das informações em libras do professor da compreensão e ajuda dos amiguinhos com gestos.

Brincadeiras lúdicas com músicas

Brincadeiras lúdicas para Surdos

Brincar com música significa permitir falar sobre os desejos, sentimentos, afetos, convivência social e harmonia do ciclo natural da vida. A A inclusão do nome da criança nas cantigas leva-a a aceitar de si mesma e dos outros, na construção de sua autoestima.

A música é um importante mediador do desenvolvimento das crianças nas suas habilidades físicas, verbais, sociais e emocionais. Proporciona liberdade de criar e adaptar, mediante a qual atividades se tornam atraentes aos olhos das crianças que buscam incansavelmente novidades, descobertas e vivências que satisfaçam à curiosidade. Portanto, a música tem o dom de envolver, unir, encantar, despertar emoções e desejos nas crianças.

Algumas sugestões de brincadeiras lúdicas com músicas para crianças surdas:

Música: Olá como vai?

A música é cantada assim:

olá, como vai?

Eu vou bem E você vai bem também

Legal, legal, legal, legal…

Os alunos estarão em duplas, aonde um vai cumprimenta o outro, em seguida aponta para si mesmo e logo após para o colega. Bate palma, sua mão direita com a direita do seu colega, outra palma e bate as mãos esquerdas, logo após canta novamente, fazendo os mesmos gestos. Para a inclusão das crianças surdas o educador deverá descrever as regras através da linguagem de sinais ou com gestos corporais demonstrando como deverá ser desenvolvida a brincadeira e interação com as outras crianças.

Música: Sai o piaba Sai,

sai , sai o piaba Saia da lagoa,

Sai, sai, sai o piaba

Saia da lagoa,

Põe a mão na cabeça

A outra na cintura

Da um remelexo no corpo

E da…………… (indica qualquer parte do corpo)

Mexendo as mãos, como se estivessem expulsando alguém, põe a mão na cabeça e na cintura, da uma rebolada e em seguida bate a parte do corpo indicada uma na outra. Da mesma forma da música anterior para a inclusão das crianças surdas o educador deverá descrever as regras através da linguagem de sinais ou com gestos corporais demonstrando como deverá ser desenvolvida a brincadeira e interação com as outras crianças.

Música: “Eu conheço um Jacaré”.

Eu conheço um jacaré, Que gosta de comer, Esconde a (parte do corpo).

Se não o jacaré, come (parte do corpo).

E o dedão do pé.

A música ensina a esconder as partes do corpo.

Fazer um círculo, cada aluno após terminar a música, irá falar qual parte do corpo que quer esconder. O educador deverá sempre antes de iniciar as brincadeiras, explicar para a criança surda em língua de sinais ou com expressões corporais como ela deve proceder e para as demais crianças a limitação do amiguinho ao qual eles terão que ajudá-lo.

Mais sugestões de atividades 

Ensino De Língua Portuguesa Para Surdos  Vol I

Idéias Para Ensinar Português Para Alunos Surdos

INCLUSÃO ESCOLAR

INCLUSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

INCLUSÃO NO JOGO PARA CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL

 

 

 

Adicionar Comentário