Home Síndrome de Down COMO ALFABETIZAR UM ALUNO COM SÍNDROME DE DOWN

COMO ALFABETIZAR UM ALUNO COM SÍNDROME DE DOWN

21 min read
0
0
403

COMO ALFABETIZAR UM ALUNO COM SÍNDROME DE DOWN

Sabemos que alfabetizar uma criança não é uma tarefa nada fácil, mas quando essa criança possui um comprometimento intelectual essa dificuldade aumenta ainda mais pra o professor alfabetizador, porém não é impossível, vamos descobrir como alfabetizar uma criança com Síndrome de Down?

O que é?

como-alfabetizar-um-aluno-com-sindrome-de-down-1

A Síndrome de Down ou trissomia do cromossomo 21 foi descoberta pelo estudioso John Langdon Down por volta de 1866, foi atribuído erroneamente o termo mongolismo ou idiota, por conta da síndrome trazer consigo causas freqüentes de deficiência intelectual.

Sua causa é um erro genético caracterizado pela presença de um cromossomo a mais nas células do individuo com a síndrome, essa condição acarreta em problemas do desenvolvimento cognitivo e corporal em diferentes graus.

Não é culpa do pai ou da mãe que a criança nasça com o erro genético, é um conjunto de fatores e de combinações aleatórias, a idade também é um fator que pode ocasionar a síndrome, mulheres que engravidam sem previamente passar pelo médico e/ou acima dos trinta e cinco anos estão inclusas nos fatores de risco, podendo ocasionar de o feto desenvolver alguma síndrome ou doença.

Com a tecnologia atual é possível identificar desde a barriga da mãe se o bebê terá ou não a síndrome.

O Processo de Alfabetização

como-alfabetizar-um-aluno-com-sindrome-de-down-2

Em um primeiro momento é importante que saibamos que mesmo com a síndrome de Down e a deficiência intelectual a criança pode e deve ser alfabetizada como todas as outras, a única diferença será o tempo que ela levará para que isso aconteça por isso os estímulos devem ser intensificados. 

As crianças ditas normais, na maioria dos casos aprendem a ler e escrever por meio da leitura das palavras inteiras ou vendo a sua escrita, depois passam para a abordagem fonética e começam a assimilar as letras e os sons para decodificar a escrita, dividir as palavras ou soletrá-las.

Nesse processo o estudos feito por Emília Ferreiro e Ana Teberosky (1985), a qual recebeu o nome de “Psicogênese da Língua Escrita” definem cinco níveis para o processo de aprendizagem dos alunos.

1º Garatujas: Elas ocorrem por volta dos dois a três anos de idade, onde a criança tenta representar as letras escritas e apenas conseguem fazer desenhos imitando.

2º Grafismos: Ocorre por volta dos quatro anos de idade, a criança ainda faz as garatujas, mas tem a preocupação de saber o tamanho das palavras.

3º Fonetização: Nessa etapa a criança tenta dar valor sonoro ao que esta sendo desenhado no papel por ela

4º Hipótese Silábica: Nesse nível a criança já entende que as palavras são dividas por sílabas, conforme ocorre o aprendizado ela derruba a ideia da hipótese e começa a se dedicar as silabas.

5ª Alfabética: Que é quando a criança já entende a escrita e consegue escrever corretamente.

crianças com Síndrome de Down são bons aprendizes visuais

As crianças com Síndrome de Down são bons aprendizes visuais por conta disso o inicio da sua alfabetização se dá naturalmente e de uma forma até fácil, mas acabam permanecendo nos primeiros estágios por mais tempo que os outros colegas de sala, tendo uma dificuldade maior para ir para o nível alfabético.

Os decorrentes problemas de audição que algumas crianças com a síndrome possam ter habilidades envolvendo a memória; resolução de problemas dificulta um pouco mais esse processo de adquirir a consciência fonológica, por isso é de suma importância que tais momentos sejam muito mais trabalhados e que tais habilidades sejam encorajadas e motivadas.

As crianças com algum tipo de deficiência, principalmente as intelectuais, precisam de uma rotina pré- estabelecida, de um currículo adaptado, e um ambiente de estudos organizado, atividades lógicas e regras, esses elementos são básicos no processo de aprendizagem da criança com a síndrome, ela precisa se sentir segura e a rotina passa essa segurança para ela, ela precisa de regras pois ela tem que saber respeitar os outros e a si mesma, o currículo precisa estar adaptado ela precisa aprender como todos os outros alunos sobre aquele assunto, mas nada impede o professor de adaptar-lo para a realidade do aluno, tornando determinado texto mais curto de ler, por exemplo.

Essas pequenas mais importantes adequações garantem um bom desempenho e aprendizagem do aluno com a Síndrome de Down.

Para que esse processo ocorra o professor pode utilizar de cartões e objetos concretos em sua aula, assim os alunos irão ver e ouvir do que se trata a palavra dita pelo professor e conseguiram assimilar de uma maneira melhor, no caso da criança com a síndrome isso deverá ser repetido algumas vezes até que de fato se consolide, por conta da memória ser prejudica, é preciso que o profissional saiba lidar bem com tais situações e entenda que esse trabalho é necessário para a formação do aluno.

A escola deve proporcionar um ambiente acolhedor e harmônico para que o aluno se sinta a vontade e confiante.

É de suma importância que o processo de aprendizagem seja feito de maneira leve, sem forçar a criança, e lúdico.

O lúdico além de ser colorido e agradável aos olhos, lembrando que as crianças com a Síndrome de Down são visuais, ele também desperta o interesse, por isso é mais fácil para que os conteúdos sejam aprendidos. Você pode:

  • Incluir jogos
  • Música
  • Livros pequenos e coloridos

Apenas tome o devido cuidado para não introduzir informação demais na criança, ela ficará confusa e sem aprender realmente, veja os sinais que ela mesma dará, trabalhe também com objetos concretos, é bom que a criança pegue, sinta, aquilo que esta aprendendo.

Os objetivos do processo de aprendizagem da criança com síndrome de Down é que ela consiga ter uma vida o mais normal o possível, dentro de suas limitações a escola e podem contribuir e muito com:

  • Estimular a linguagem oral e escrita,
  • Estimular a sua independência e organização,
  • Desenvolver a compreensão do que é real e do que é fictício,
  • Desenvolver as habilidades físicas, mentais e sócio- afetivas,
  • Ampliar e enriquecer o seu vocabulário,
  • Ler e escrever de forma correta e falar de maneira correta,
  • Conhecer a si mesmo enquanto ser- humano, saber das suas limitações e saber que é capaz de realizar muitas tarefas,
  • Adquirir conceitos sobre formas, tamanhos, quantidades,
  • Desenvolver habilidades sociais e conhecimentos práticos que ajudem no seu comportamento em todos os ambientes.

como-alfabetizar-um-aluno-com-sindrome-de-down-3

Quando a criança está na sala de aula, é interessante que ela tenha um real contato com os outros alunos da turma, as atividades em grupo são uma ótima opção para incluir á todos nesse processo, beneficiando a integração social das crianças.

Vale lembrar que ninguém é igual e por isso o modo de aprender também não é, se determinada técnica deu certo com determinado aluno, isso não significa que dará certo com todos, por isso esteja preparado, estude e saiba lidar com diversos tipos de situações.

A produção de todos os trabalhos de início serão difíceis e complexas, as dificuldades de memória e coordenação motora fina serão um trabalho extra para o professor, a fala e linguagem, organização e sequência também, não desanime, será difícil no começo, pense que se está assim para você imagina para a criança, então mantenha a calma, o desenvolvimento dessas habilidades na Síndrome de Down levam tempo e treino, mas com o trabalho e a estratégia corretos, irá correr tudo bem.

Estratégias:
Utilize recursos adicionais para auxiliar a escrita como

  • Diferentes tipos de lápis,
  • Linhas mais grossas,
  • Papéis quadriculados,
  • Quadros,
  • Painéis para escrita.

Ofereça sempre um apoio visual para o que você está falando, por exemplo, se você está falando sobre maçãs, mostre a imagem de uma maça ou se possível leve uma maça para dentro da sala, deixe que a criança toque, sinta seu cheiro e gosto.

Mostre que existem vários métodos de memorização e diga para que faça o que ele se sentir mais confortável, apresente os mais usados como:

  • Cópia,
  • Sublinhas ou circular,
  • Usar o bloco de notas do computador ou celular.

Incentive o seu aluno em todos os momentos possíveis, a motivação também é de suma importância no processo de ensino aprendizagem desse aluno.

Dicas Básicas:

  • Esteja ciente das implicações do seu aluno
  • Mantenha a ficha do aluno atualizada, os dados pessoais, atividade física, doenças.
  • Conheça o meio social que a criança está inserida, entre em contato com a família, conheça bem a escola e o ambiente.
  • Supervisione as atividades do aluno.
  • Anote tudo o possível sobre o aluno em seu caderno, ao final de cada aula, assim você conseguira observar de modo mais amplo os progressos do seu aluno.
  • Observe o aluno durante as atividades, dentro e fora da sala de aula, ele demonstrará se está gostando ou não, fique atenta aos sinais.
  • Não passe várias informações ao mesmo tempo, isso confundirá a sua cabeça.
  • Estimule o aluno para realizar as atividades
  • Evite a superproteção, ele sabe se virar sozinho
  • Mostre sempre exemplos
  • Adote uma comunicação facilitada.

Essas dicas ajudarão o professor e a família, mas o convívio diário e o seu conhecimento sobre a criança em questão facilitarão muito mais o seu trabalho e a vida desse aluno, é preciso muito cuidado e atenção para se trabalhar com a síndrome de down, porém se os estímulos e motivações forem corretos o aluno avançara muito.

Laís Simão, Pedagoga e Professora Especialista em Deficiências Intelectual e Múltiplas.

Mais sugestões de Atividades Para Crianças com Síndrome de Down

SÍNDROME DE DOWN CARACTERÍSTICAS E ATIVIDADES

Sugestões em vídeo de Atividades Para Crianças Com Síndrome de Down:

Summary
Review Date
Reviewed Item
COMO ALFABETIZAR UM ALUNO COM SÍNDROME DE DOWN
Author Rating
51star
1star1star1star1star
Carregar mais artigos relacionados
carregar mais Andre Marques
Carregar mais Síndrome de Down

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além disso, verifique

Dia do hino Nacional Brasileiro

Dia do hino Nacional Brasileiro Encontre Neste Artigo:1 Dia do hino Nacional Brasilei…