DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

 

Para quem trabalha com educação sabe que o processo de aprendizagem não é igual para todos os alunos alguns aprendem com mais facilidade e outros com menos, porém existem alguns problemas que podem gerar uma dificuldade maior nesse processo. Vamos conversar um pouco sobre as Dificuldades de Aprendizagem?

O QUE PODE CAUSAR A DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM?

São varias as causas da dificuldade de aprendizagem nas pessoas, podem ser por fatores genéticos ou fatores ambientais, a conclusão que se pode chegar é que pessoa que tem um problema, uma dificuldade em aprender, precisa de ajuda para não se prejudicar num futuro próximo. É necessário levar-se em consideração também para que a aprendizagem ocorra de fato existem diversos fatores que contribuem para tal como, por exemplo:

  • Conflitos pessoais
  • Conflitos familiares
  • Questões sociais
  • Condições biológicas

Acabam sendo uma série de fatores que podem beneficiar ou prejudicar a pessoa em tempo de aprender seja ela criança, adolescente ou adulto. Porém no caso da pessoa com uma dificuldade de aprendizagem estamos lidando com questões muitas vezes cerebrais, os neurônios e suas conexões, que funcionam de maneira diferente.

Não significa no entanto que essas pessoas são incapazes ou desfavorecidas de inteligência, significa somente que a abordagem do professor nesse momento precisará ser modificada para que aquele determinado conteúdo chegue também a esse aluno, respeitando a sua singularidade, que a escola deverá sofrer algumas pequenas alterações que tornaram a vida desse aluno e de todos mais fácil e que será necessitado a ajuda de apoio psicopedagógico do qual está mais apto para trabalhar com esses tipos de caso.

Transtornos e doenças que podem acabar prejudicando o processo de aprendizagem

Existem também alguns transtornos e doenças que podem acabar prejudicando o processo de aprendizagem dos alunos como:

  • Discalculia: Os alunos que tem esse distúrbio são afetados na relação com a matemática. A dificuldade que esses alunos tem com os números acabam por prejudicar a forma com o qual realizam as operações, fazem contagens, classificam e ordenam.
  • Dislexia: Esse distúrbio apresenta na criança como uma dificuldade de compreender as letras, palavras e fonemas, dificultando o seu processo de aprendizagem da leitura e da escrita.
  • Disgrafia: Aqui o aluno apresenta dificuldade na parte escrita, comete erros ortográficos, mais do que o normal, inverte palavras, troca as palavras, omiti e até acrescenta sem a necessidade daquele contexto.
  • Dislalia: Esse distúrbio apresenta dificuldades na fala do aluno, pode ter alterações na formação normal dos órgãos fonadores, conjunto responsável pela fala humana, dificultando a produção de alguns sons da língua.
  • Transtorno de Déficit de Atenção: O TDA é um transtorno neurológico, influencia a parte do cérebro responsável pela atenção e foco, a pessoa que apresenta o TDA não consegue manter-se focado em conversas, aulas, palestras, por exemplo, por muito tempo, o que dificulta e muito o seu processo de aprendizagem.
  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade: o TDAH apresenta sinais de baixa concentração, inquietude e impulsividade. As pessoas com esse transtorno não conseguem ficar paradas por muito tempo, seus fatores são genéticos e/ou ambientais.
  • Disortografia: Esse distúrbio também é afetado pela dislexia, está relacionado com a disgrafia porém é mais amplo fazendo com que o aluno perca a vontade de escrever e tenha dificuldade em se concentrar nas orações.

São vários os transtornos, distúrbios ou ate mesmo doenças que podem acabar prejudicando uma pessoa no processo de aprendizagem, nem todos serão facilmente descobertos, podendo acompanhar a pessoa que o têm para o resto da vida, isso na sociedade que vivemos não é mais uma desculpa ou bom, é preciso manter um olhar atento sobre os alunos e observar as sua as suas dificuldades em sala de aula dia após dia. Em alguns dos casos, podem ocorrer de o problema em especifico não ser o aluno e sim o professor, a maneira da qual ele passa o conteúdo, por exemplo.

As crianças e adolescentes de hoje são incrivelmente espertos e conectados, é difícil manter sua atenção em uma carteira em sala de aula e em fila indiana ouvindo apenas o que o professor tem a dizer, por exemplo, nesses casos é valido investir em aulas mais atrativas e lúdicas, para prender de fato a sua atenção e fazer com que assimilem os conteúdos.

COMO POSSO IDENTIFICAR A DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM?

O papel da família e da escola nesse momento é de suma importância, esse contato diário que os dois pólos têm com o aluno, além de outros grupos como os familiares e amigos, ajudará na identificação do problema.

Como os professores organizam uma rotina em sala de aula será muito mais fácil para ele tal identificação, as sondagens realizadas e avaliações também serão chaves para que isso ocorra. Caso o professor realmente perceba essa dificuldade de aprendizagem por parte do aluno é necessário encaminhá-lo para uma avaliação com um professor especialista na área, psicopedagogo, que caso o constate de fato, uma avaliação com um profissional da área da saúde.

É indispensável que esse processo ocorra, as avaliações corretas permitem que muitas pessoas que identificas com o problema, porém não as tem de fato, livrem-se de tratamentos impróprios e em contrapartida quando identificado de fato que ocorra o tratamento adequado para essa pessoa. As pessoas são diferentes umas das outras, muitas vezes o que é bom para um não será bom para o outro, por isso é tão importante que sejam realizadas por profissionais especialistas no assunto.

A avaliação poderá ser conduzida com uma equipe multidisciplinar, ou seja, vários profissionais de varias áreas envolvidos podem contar com professores, psicopedagogos, médicos neurologistas, médicos psiquiatras, psicólogos, fonoaudiólogos, por exemplo. Cada um desses profissionais contribuirão da sua maneira para que o diagnóstico seja o mais assertivo o possível e para que o tratamento seja o correto.

QUAL O PAPEL DA ESCOLA?

Primeiro a escola deve acabar com os preconceitos e prejulgamentos de que o aluno que possui dificuldades de aprendizagem é incapaz de aprender ou possua algum retardo mental. O papel da escolha é ser acolhedor com todos, quebrar os rótulos e paradigmas contribui e muito para esse processo.

Segundo a escola deve promover a interação entre aluno e aluno, interação entre professor e aluno e interação entre a comunidade escolar. Essas integrações beneficiam o processo de ensino aprendizagem de todos os alunos, contribuem para um melhor rendimento e aprendizado, tanto acadêmico como social.

Se a escola não proporciona esses momentos de interação o rendimento dos alunos, todos incluindo os que possuem algum tipo de dificuldade de aprendizagem caiam isso desmotiva os professores, alunos e também a comunidade escolar, causando uma frustração na maioria dos casos.

Terceiro é também papel da escola, por meio da figura do professor, que, diga-se de passagem, é um dos principais exemplos que os alunos terão adaptar o currículo e metodologias de ensino para melhor aprendizagem do aluno.

É preciso buscar uma dinamicidade na sala de aula, que alguns dos professores não gostam, para que o processo torne-se prazeroso e fácil para o aluno, independentemente de suas dificuldades, elaborar aulas lúdicas, jogos e brincadeiras voltados para em especifico para a aprendizagem de um determinado assunto, torna a aula mais leve e acolhedora.

O objetivo principal é estimular o aluno, desafiá-lo, e fazer com que ele mesmo se desafie e desafie as suas limitações, provando para si mesmo que ele é capaz de vencer os seus obstáculos. 

DICAS PARA PAIS E PROFESSORES:

Vou deixar algumas dicas para o professor e os familiares para vivencia com a pessoa diagnosticada com dificuldade de aprendizagem seja mais leve, lembrando que você não precisa seguir a risca, adapte-a a sua realidade:

Professor:

  • Sente o aluno longe das janelas e portas, para não se distraírem com facilidade.
  • Sente o aluno longe de colegas que fiquem o chamando, brincando ou provocando ele.
  • Peça para que ele deixe em cima de sua carteira apenas o que irá usar para não se distrair com coisas demais.
  • Escreva no quadro quais serão as atividades do dia, para o aluno perceber e começar a desenvolver senso de organização, dessa forma ele começa a criar esse habito.
  • Evite um excesso de estimulação visual, para que ele não se distraia com facilidade, quando estiver desmotivado, por exemplo.
  • Dê instruções claras e simples, seja sempre objetivo no que você está pedindo para seu aluno.
  • Procure encorajá-lo, elogiá-lo, pois eles se desanimam com facilidade.
  • Proporcione um ambiente acolhedor demonstrando até um contato físico de maneira equilibrada, claro, sentir que as pessoas se importam com nós sempre é benéfico.
  • Conversar sempre com os pais e familiares.
  • Impor limites e objetivos a serem seguidos pelos alunos.
  • Trabalhos em pequenos grupos.

Para os pais:

  • Não grite com seus filhos por motivos de erros.
  • Seja amoroso e paciente.
  • Promova um ambiente acolhedor e se possível separe um local da casa para ele realizar as tarefas.
  • Ajude-o sempre eu possível, faz bem o contato familiar.
  • Mantenha a nutrição e atividades físicas em dia.
  • Esteja sempre em contato com a escola, trabalhem juntos na evolução do individuo.

Por fim é muito complicado viver com alguma doença, transtorno ou dificuldade de aprendizagem, por isso seja empata e proporcione momentos felizes a todos.

Laís Simão, Pedagoga e Professora Especialista em Deficiências Intelectual e Múltiplas.

Mais sugestões de atividades e dicas para Dificuldades de Aprendizagem

O QUE É TDAH?

CRIANÇA HIPERATIVA

Sugestões em vídeo de atividades para lidar com Dificuldade de Aprendizagem

Adicionar Comentário